A confissão é boa para a alma

Quando nós “fizemos nossa confissão” como católicos, deveríamos revelar nossos pecados ao padre por trás da cortina a na cabine de confissão. Ele então determinaria uma punição adequada, à qual deveríamos nos submeter obedientemente. Quando entrei pela primeira vez no confessionário, por volta dos sete anos, e a incorpórea voz sacerdotal solicitou minhas infrações, fiquei em branco, incapaz de me lembrar nem mesmo de um pecadilho. Eu me senti na obrigação de dizer algo, então deixei escapar “Eu roubei a bicicleta de Henry!” Minha mentira ousada provavelmente assustou o clérigo, mas ele não demonstrou emoção e simplesmente se preparou para fazer justiça. Depois de confirmar que eu sabia a diferença entre certo e errado, a voz sacerdotal administrou minha punição: “Diz cinco Pais-Nossos e 20 Ave-Marias”. Então eu tive que recitar 25 orações rotineiras a Deus por um crime que confessei, mas nunca cometi. Que tal lançar as bases para a culpa católica?