6 estágios criativos do design da marca: guia passo a passo.

Hoje, a concorrência entre empresas é bastante acirrada. Para se destacar na multidão, uma empresa precisa ser única e reconhecível pelos clientes. Uma marca forte é o que está por trás de cada produto de sucesso. A Pesquisa Global de Inovação de Novos Produtos da Nielsen descobriu que quase 59% das pessoas preferem comprar novos produtos de marcas conhecidas, e 21% dizem que estão prontas para comprar um produto se ele vier de uma marca de que gostam.

Algumas pessoas se acostumaram com o n rei de que somente os especialistas em marketing fazem todo o trabalho de branding. No entanto, se você disser isso a designers profissionais, eles dirão o quão errado você está. Como disse o designer gráfico americano Paul Rand: «O design é o embaixador silencioso da sua marca.» O artigo fala sobre a essência da marca, bem como o papel do design nela. Além disso, definiremos os principais estágios da criação de uma marca eficaz.

O que é branding?

Ultimamente, a palavra “marca” tem sido comumente usada como algo da moda, especialmente na indústria da moda, então muitas pessoas esquecem sua verdadeira essência. De acordo com o Business Dictionary, uma marca é um design, signo, símbolo, palavras ou uma combinação deles exclusivos, empregado na criação de uma imagem que identifica um produto e o diferencia de seus concorrentes. Em outras palavras, uma marca é uma representação visual que as pessoas relacionam com uma empresa ou um produto. Uma identidade de marca eficaz é aquela que os clientes associam a um alto nível de credibilidade e qualidade.

No entanto, um branding poderoso depende não apenas das características estéticas dos elementos da marca, mas também dos detalhes como mensagem e apelo emocional que estão por trás deles. Para criar uma identidade de marca adequada, os designers precisam se aprofundar nos detalhes sobre os objetivos de negócios, bem como fazer uma pesquisa de mercado e seu público-alvo. Aqui, dividimos um processo de branding em seis estágios essenciais pelos quais os designers precisam passar no caminho da criação da marca.

Etapa 1. Objetivos comerciais e personalidade da marca

Claro, não é um designer que define os objetivos de uma empresa ou define sua personalidade, mas é a base de todo o processo de branding. Para receber os resultados esperados, a empresa deve definir as prioridades e os valores desde o início, para que a equipe que trabalha com a marca possa ver o caminho a seguir. Eles não precisam necessariamente ser definidos e usados ​​durante todo o ciclo de existência da marca. As metas podem ser modificadas posteriormente durante um processo criativo, mas é vital ter algumas diretrizes no início.

Além disso, antes de os designers começarem a trabalhar em uma parte visual, eles precisam identificar o personagem que a empresa ou produto deseja apresentar. Desenhar uma marca sem esse conhecimento é como desenhar um retrato a partir de uma fotografia. Você pode fazer a cópia corretamente, mas o trabalho não terá uma emoção nele. O mesmo acontece com a marca. Se os clientes não forneceram a um designer uma descrição caracterizando sua empresa, é bom pedir. Por exemplo, os designers podem pedir aos clientes que façam uma lista de 4 a 5 palavras-chave que descrevam seus negócios ou, pelo menos, o que eles querem que uma empresa seja.

A prática mostra que nem todos os clientes procuram designers preparados. Eles podem não pensar em detalhes e pedir apenas uma apresentação visual atraente que trará sucesso para seus negócios. Não há nada de notável nisso. Os clientes costumam ver designers como artistas criando belas fotos e você não pode esperar que eles conheçam todas as peculiaridades do fluxo de trabalho dos designers.

Em um de nossos artigos anteriores, mencionamos o papel da psicologia no design. Pode ser muito útil na maneira de entender o comportamento dos usuários e suas possíveis reações ao design. Além disso, os princípios da psicologia podem ajudar os designers a estabelecer uma comunicação eficaz com os clientes. Existem muitos clientes que não têm certeza de seus desejos e preferências e é aí que a psicologia ajuda. Se um designer encontrar perguntas adequadas para fazer, será mais fácil criar um guia com base no desejo do cliente.

Etapa 2. Pesquisa de mercado e do usuário

Quando as metas são definidas e a personalidade de uma empresa parece clara, os designers partem para o trabalho de pesquisa. Esta etapa é essencial para todos os tipos de trabalho do designer, seja um logotipo ou um aplicativo móvel. A pesquisa ajuda a mergulhar no ambiente da marca do futuro e compreender as peculiaridades que podem influenciar seu sucesso.

Primeiro vai a pesquisa de mercado. Os designers buscam informações sobre o mercado e os concorrentes em potencial. É bom aprender com a experiência de alguém, seja ela boa ou ruim. Ter os especialistas em dados necessários pode criar um logotipo exclusivo e eficiente e construir uma identidade de marca que se destaque na concorrência.

As preferências dos designers e clientes devem se afastar das necessidades do público-alvo. Uma marca precisa causar uma boa impressão em seus compradores ou usuários potenciais para ganhar sua confiança. A pesquisa do usuário ajuda a aprofundar as preferências e peculiaridades psicológicas do público-alvo.

O design não é uma arte pura. Se você confiar excepcionalmente no senso de beleza e talento, existe o risco de falhar na tarefa. A pesquisa leva menos tempo em comparação com a conclusão do trabalho.

Estágio 3. Design do logotipo

Algumas pessoas costumam confundir um logotipo com uma marca, mas é apenas um estágio no processo de branding. No entanto, seria errado subestimar o papel do design de logotipo. É a marca básica da identidade da marca, o símbolo mais proeminente da imagem da marca e a base de uma estratégia de marketing eficaz, permitindo sua conexão com o público-alvo.

Em nosso artigo Design de logotipo: estágios criativos, descrevemos os estágios essenciais do processo criativo no design de logotipo. Eles são:

Um dos aspectos que a pesquisa inclui é explorar logotipos de empresas concorrentes. Ajuda a evitar semelhanças desnecessárias com outros logotipos do setor e a criar uma identidade de marca original.

Quando todas as informações essenciais são reunidas, os designers passam para um estágio mais artístico – o próprio processo criativo. Por meio de vários experimentos, eles escolhem a direção do estilo e a paleta de cores que funcionam melhor para uma marca.

Após a conclusão do logotipo, os designers começam a parte de teste. O fato é que nem tudo que parece bom em uma tela digital será o mesmo em um ambiente diferente ou em uma variedade de superfícies. É por isso que é vital testar o logotipo em todas as situações e posicionamentos possíveis para garantir que não haja uma surpresa desagradável.

O design de logotipos desempenha um papel importante na marca, então os designers são recomendados a prestar muita atenção ao seu processo criativo. Um logotipo bem pensado vale o investimento de tempo.

Estágio 4. Elementos visuais da marca

O design do logotipo não é a única representação visual de uma marca. Certamente, o foco principal sempre será um logotipo, mas há mais alguns elementos que merecem atenção, como mascotes e tipografia.

As empresas frequentemente procuram maneiras de personalizar uma marca e os designers têm uma solução. Mascotes são os personagens de design personalizado criados para representar a marca de uma forma bastante simbólica. Eles podem ser criados como parte de um logotipo ou existir como um elemento individual da marca. Esses personagens podem estabelecer a conexão com os usuários como nada mais. Um mascote serve como ferramenta de comunicação e interação com os usuários ajudando a transmitir a mensagem de forma inusitada. As pessoas começam a ver um mascote como um grande representante de uma empresa, apresentando-lhes um produto ou serviço. O mascote eficiente garante reconhecimento e memorização para uma marca e facilmente chama a atenção dos usuários.

Outro elemento visual responsável pela identidade da marca é a tipografia. Muitos logotipos são criados por meio de tipografia ou contêm fontes, mas a tipografia não termina aqui. Banners, cartões de visita e correspondência que uma empresa aplica também devem envolver sinais de identidade da marca. Você pode fazer com que as fontes também falem pela sua marca. Os designers costumam criar fontes personalizadas para que as empresas sejam únicas, mesmo em pequenos detalhes. No entanto, não é a única opção. Os especialistas podem escolher uma combinação de fontes regulares que se adapte melhor a uma determinada marca. Dessa forma, os usuários se lembrarão mais facilmente de uma marca devido à sua consistência em cada detalhe.

Estágio 5. Estilo de marca corporativa

Quando o logotipo está pronto, a paleta de cores é escolhida e outros elementos visuais são preparados, é hora de uni-los em um estilo corporativo harmônico. É necessário quando um designer trabalha com branding para empresas prestadoras de serviços. Vários atributos podem se tornar um item de marca, dependendo do tipo de empresa. Existem alguns itens de marca comuns que são usados ​​por empresas diferentes:

Cartão de visita. Hoje, é um item essencial na comunicação empresarial, por isso é vital garantir que um cartão de visita represente uma marca de maneira adequada.


Correspondência . A comunicação empresarial sempre tem um estilo formal. Para mostrar que uma marca é um parceiro confiável e prestador de serviços, os designers precisam trabalhar na apresentação da correspondência. Os papéis timbrados e envelopes devem conter elementos de identidade da marca que mostrem o nível profissional.

Cartazes e banners. Eles são uma parte essencial da marca e do marketing, então os clientes costumam pedir aos designers que trabalhem em uma ideia criativa para anúncios externos e banners da web.

Marca do veículo. As empresas que fornecem entrega de produtos precisam de uma decoração eficaz do veículo. Os elementos de identidade da marca nos carros ou caminhões da empresa são uma forma eficiente de promoção ao ar livre.

T-shirt e chapéus. Roupas com marcas de marca trazem o espírito de equipe para a empresa, portanto, os empregadores costumam cuidar desses atributos. Camisetas e chapéus de marca podem ser uma boa alternativa a um uniforme, se necessário, ou podem ser usados ​​como presentes.

Etapa 6. Um guia de estilo

O trabalho está feito. O material visual está completo. A última tarefa do designer é garantir que os clientes usarão todos os ativos de maneira adequada. Um guia de estilo é um documento que fornece instruções sobre as formas corretas e incorretas de usar os gráficos criados para a marca. Tradicionalmente, um guia de estilo inclui a explicação da ideia por trás de um logotipo, bem como a apresentação de uma paleta de cores corporativa que pode ser usada para diferentes fins. Pode ser bom demonstrar os exemplos de uso incorreto para evitar baixo desempenho visual.

Como você pode ver, o branding é um processo complexo. Cada etapa deve ser bem pensada, com base nas necessidades do público-alvo e nos objetivos de negócio. Para ver mais, bem-vindo para verificar os estudos de caso sobre nossos projetos recentes de branding. Fique ligado!

Leituras recomendadas

Como criar um guia de estilo de marca

Design do logotipo. Caminho criativo para uma marca eficaz. E-book grátis.

<✓ Originalmente escrito para tubikstudio.com

Bem-vindo aos designs de Tubik no <”Dribbble e <✓ Behance